BOTUCATU ALCANÇA MARCA DE 5 MIL MEIS

1094 0

4 - EVENTO 5 MIL MEIS (5) - SILVIA FURIO BRUNO CAETANO E JOAO CURY - FOTO IGOR MEDEIROS

9 - EVENTO 5 MIL MEIS (59) - PUBLICO NO CINE NELLI - FOTO IGOR MEDEIROS

18 - mosaico_mei

A Prefeitura de Botucatu e o Sebrae-SP promoveram na noite desta segunda-feira (23), no Cine Teatro Nelli, um evento em comemoração à marca de mais de 5 mil microempresários formalizados, desde 2009, no Município. Além do prefeito João Cury Neto, marcaram presença o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano; secretário municipal de Desenvolvimento, Edison Baptistão; secretário adjunto de Comércio e Serviços, Antonio Zorzella Neto; gerente do Sebrae-SP em Botucatu, Silvia Alzira Furio; presidente do Sincomércio Botucatu, Fátima Baldini; e microempreendedores da Cidade.
Para ser um MEI é necessário faturar hoje até R$ 60 mil por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter no máximo um empregado contratado que receba o salário-mínimo ou o piso da categoria. Ele é enquadrado no Simples Nacional, ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL), e terá como despesas apenas o pagamento mensal de R$ 39,40 (INSS), acrescido de R$ 5 (para prestadores de serviço) ou R$ 1,00 (para comércio e indústria).
Em Botucatu, os MEIs (Microempreendedores Individuais) contam com todo o suporte da Sala do Empreendedor, que funciona na Casa do Cidadão. No local são realizados atendimentos personalizados que garantem agilidade aos processos, como um “Poupatempo do Empreendedorismo”. A Sala do Empreendedor promove orientação jurídica, abertura de CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), simplificação dos incentivos fiscais, orientação nas aquisições de bens e serviços pelo Poder Público Municipal, acesso a crédito (Banco do Povo) e à educação empreendedora.
Um destes mais de 5 mil MEIs que procuraram a Sala do Empreendedor para se formalizar foi Luís Gustavo Condulucci Machado. Com apenas 19 anos, ele buscou o sonho de ter o próprio negócio na área de personalização e brindes. “Comecei com 16 anos, no quarto da minha casa, com silk [estamparia] de camisetas. Vendia no intervalo da escola. Procurei o Sebrae, que me indicou ir à Sala do Empreendedor. Antes eu recebia pedidos de orçamentos, mas eles voltavam porque eu não tinha CNPJ. Então foi muito difícil no começo. Hoje já temos um site e estamos funcionando numa avenida de Botucatu, de portas abertas”, conta.
Outra que já tem colhido frutos da formalização é Angela Vigliasi, proprietária de uma loja de moda feminina na Avenida Dom Lúcio. Hoje, aos 34 anos, ela lembra que foi a primeira MEI de Botucatu, isso ainda no ano de 2009. “Eu trabalhava como sacoleira, vendia roupa esportiva. Aí surgiu a lei e foi o que mudou a minha vida. Quando me formalizei, comecei a me cobrar mais e a loja se tornou mais um filho pra mim. Mas eu acreditei no meu sonho, visualizei, e trabalhei muito. O negócio deu tão certo que agora está migrando para ME [Microempresa] e vamos abrir em breve uma nova loja”, revela.
Sonho, planejamento e trabalho – Segundo Bruno Caetano, as três características principais de um bom empreendedor de sucesso são sonho, planejamento e trabalho. “Às vezes recebemos gente lá no Sebrae dizendo: quero ser patrão pra chegar às 11 horas no meu trabalho, almoçar e três horas da tarde ir pra casa. Vai dar certo? Não. Mas se você faz aquela atividade, com planejamento e um sonho, você vai conseguir seguir adiante”, aconselha.
Em sua palestra, o diretor-superintendente do Sebrae-SP também trouxe informações e números sobre o crescimento da formalização no País. Segundo ele, já são mais de 10 milhões de empreendedores no Brasil. Metade deles são microempreendedores individuais. “Hoje já podemos afirmar sem sombra de dúvida que a principal categoria de empreendedor é o MEI. E por que o MEI ganhou tanto espaço em um período curto de tempo? Porque é menos burocracia, mais rápido, mais barato e tem benefícios, como direito a aposentaria”, lembra. “Além de uma opção de vida, ser MEI é uma opção de desenvolvimento para o Brasil”, completa.
O prefeito João Cury elogiou a parceria com o Sebrae-SP e o empenho diário da equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento para que Botucatu, no período de seis anos, chegasse a esta marca expressiva de 5 mil microempresários formalizados. Ainda segundo ele, o Poder Público tem a obrigação de ajudar efetivamente essas pessoas que sonham com novas oportunidades de vida. “A imagem que os empresários têm do poder público é que se a Prefeitura não atrapalhar, ela já ajuda. E hoje, para se ter ideia, quase 600 MEIS fornecem para Prefeitura, que compra dos microempreendedores individuais cerca de R$ 20 milhões por ano, de bens e serviços que são úteis para administração pública”, informa.
“Eu acredito que todos devam ter as mesmas oportunidades e depois, cada um, através do seu esforço, vai se diferenciar. Aquele que trabalha mais, acorda cedo, é talentoso, honesto, arrojado, esse certamente vai se diferenciar e será valorizado. E o compromisso da Prefeitura é de sonhar o sonho daqueles que querem fazer diferente, que querem gerar desenvolvimento na cidade ou bairro onde moram. É um ciclo virtuoso que é provocado pelas mãos dos microempreendedores e a Cidade está se preparando para gerar mais oportunidades”, conclui.
No mesmo evento também foi feita a entrega de alvarás definitivos a cinco novos microempreendedores individuais do Município e o sorteio de vagas para participação gratuita em cursos do Sebrae para o ano de 2016. O encontro foi encerrado com uma apresentação musical do Grupo de Violeiros da Afrape [Associação Fraternal Pelicano].

Mais informações
Sala do Empreendedor [Casa do Cidadão]
Rua Dr. Cardoso de Almeida, 1.001 – Centro
Tel.: (14) 3882-7823

Sabrae – Escritório Regional Botucatu
Rua Dr. Costa Leite, 1570 – Centro
Tel.: (14) 3811-1710

Saiba mais: www.portaldoempreendedor.gov.br ou www.sebrae.com.br

Veja Também

%d blogueiros gostam disto:

Net @ - sites para internet